Conto Erótico: Brinquei de médico com a minha colega da faculdade

Meu nome é Felipe e já faço faculdade de medicina há três anos.

Os estudos são muito pesados e eu quase não tenho tempo para nada, nem para conhecer mulheres, sair e, muito menos, trepar.

Na minha sala da faculdade tem bastante mulher, acredito que mais da metade da turma sejam mulheres, mas nunca cheguei a ter algum tipo de relacionamento com alguma delas.

Mas é claro também que eu tenho uma pessoa preferida, aquela com quem sempre tenho sonhos eróticos.

E que tenho que me controlar para não ficar de pau duro quando vejo ela de jaleco com uma abertura só no decote explodindo aqueles seios enormes. O nome dela é Paloma.

A Paloma tem os cabelos castanho claro, quase marrons. São bem compridos, vão quase até a bunda que, por sinal, é um raba bem linda.

Conversamos algumas vezes, mas nunca rolou nada demais.

Até pouco tempo.

Eu e mais um grupo de cinco pessoas teríamos que ficar até tarde na faculdade estudando, pois uma prova muito difícil estava chegando e nós cinco somos aqueles que estão bem fodidos, no mau sentido.

Cheguei na sala de estudos às 20h e fui o primeiro.

Fiquei lá por uma meia hora mais ou menos, sozinho, esperando o resto dos alunos chegarem.

Até que, quando eu menos esperava, Paloma chegou sem ninguém.

Ela estava usando aquele jaleco que eu falei antes, com os botões abertos no decote para mostrar tudo o que ela tem para apresentar. Corei um pouco mas tentei me controlar.

Ela estava de minissaia vermelha, bem curtinha.

- Oi, Felipe, não acredito que vai ser só nós hoje! 

Disse Paloma sorrindo e olhando diretamente nos meus olhos.

- Pois é, parece que sim, hehe, eu disse.

Abrimos os livros e eu já imaginei que não ia conseguir conversar.

Eu e Paloma, então, decidimos ir para uma mesa menor, já que parecia que ninguém mais ia aparecer na sala de estudos. Ela escolheu uma mesa de vidro.

Sentamos e percebi que eu conseguia olhar para as pernas de Paloma e aquela mini saia curta.

Abrimos os livros de novo e ela disse que estava com calor e tirou o jaleco.

Percebi, então, que aquela mini saia era na verdade um vestido. E lá estava ela, Paloma, de frente para mim, com um mini vestido.

Enquanto procurávamos a matéria para estudar percebi que ela foi abrindo as pernas lentamente, até que vi que ela estava sem calcinha e eu consegui ver tudo o que estava por baixo da saia dela. 

E Paloma disse:

- Você gosta, né?

Respondi meio perturbado

- Oi, o que?

Ela perguntou mais uma vez se eu gostava e eu perguntei mais uma vez do quê.

"Ela perguntou mais uma vez", mas sendo mais específica agora.

Paloma perguntou se eu gostava de ficar olhando para ela. Abaixei a cabeça e não sabia o que responder.

Ela pediu para eu olhar para ela e abriu ainda mais as pernas.

Olhei fixamente pois já tinha entendido que era isso o que ela queria. Paloma perguntou se eu queria tocar e, enquanto isso, olhava para o meu pau.

Obviamente eu já estava mais do que excitado, mas o tesão estava misturado com o constrangimento, afinal nunca imaginei que a Paloma um dia diria isso para mim.

Quando pensei em responder que sim, que queria comer ela de quatro ali mesmo, ouvimos barulho de passos.

Nos olhamos e eu percebi na expressão dela que ela ficou muito brava.

- Parece que infelizmente vamos ter companhia, ela disse.

Os outros três alunos chegaram, em grupo, e foi ali que acabou o primeiro momento que eu tive com a Paloma.

Eu não queria que acabasse assim, vejo a Paloma todos os dias na faculdade e não consigo parar de pensar naquela buceta.

Os dias foram se passando e eu fui me conformando que nada iria acontecer.

Um mês depois decidi tirar um tempo para me divertir e ir em uma festa à fantasia organizada pelos meus colegas de curso.

Nunca tinha ido a uma festa de faculdade, muito menos à fantasia. Sempre fui muito tímido e reservado, pensar em me expor assim, bêbado, para a universidade inteira é algo que nunca nem sequer passou pela minha cabeça.

No dia da festa, à tarde, cruzei com Paloma no corredor do nosso bloco e ela me agarrou pelo cotovelo.

- Temos que resolver aquele problema.

Eu, inocente como sempre, perguntei qual era o problema.

- Hahaha, bobo. Te espero hoje na festa, tenho uma surpresa para você.

Ela, então, largou o meu braço e saiu desfilando pelo corredor enquanto eu a olhava sumir.

- Será que ela quer que eu coma ela?, pensei.

Mais decidido do que nunca em ir àquela festa, preciso arranjar uma fantasia. Se ela disse que tem uma surpresa para mim, será que isso envolve uma fantasia sexy?

Pensei no que eu poderia usar e decidi ir de vampiro, pois tinha todo o material em casa.

Tinta branca, uma capa preta, camisa e calça social branco e preta, e um pouco de sangue artificial que eu usei na apresentação de um trabalho.

Me vesti, passei o meu melhor perfume e fui ao encontro de Paloma.

Chegando na festa, que era no ginásio da própria universidade, já encontrei alguns amigos e falei que não ia ficar muito tempo, pois precisava acordar cedo no dia seguinte.

Já falei isso imaginando que logo sairia de lá com a Paloma.

Mas eu estava enganado, não era bem assim que as coisas iriam funcionar. Tomei uns dois ou três shots de tequila e estava pronto.

Avistei Paloma de longe, do outro lado do bar, usando uma fantasia de pijama: uma camisa abotoada até o pescoço e calças largas.

Fiquei um pouco decepcionado pela fantasia, mas tudo bem, eu sabia muito bem o que tinha ali embaixo.

Ela chegou até mim e disse que estava feliz por eu ter ido.

Eu, já com o álcool na cabeça e com a timidez de lado, disse que também estava muito feliz por ver ela e olhei para o meu pau.

Ela olhou também e deu risada.

Ela disse, então, que tinha preparado uma surpresa e que estava na sala de estudos, lá onde tudo começou, e que iríamos ter que sair de fininho.

- Te encontro lá em 10 minutos, ela disse.

Esperei o tempo e fui. Cheguei lá e estava tudo escuro e não consegui avistá-la.

Então, ela acende uma luz mais baixa e aparece com uma fantasia completamente diferente: uma fantasia sexy de enfermeira.

Era uma micro saia com um fio dental enfiado naquele rabo enorme, um sutiã branco e transparente, com detalhes em vermelho, e um chapéuzinho.

- Eu vim cuidar de você", ela disse.

Nisso, Paloma começou a tirar a minha roupa e acariciar o meu pau, enquanto dizia que sempre quis que eu a comesse.

Apenas me entreguei a essa fantasia que nunca imaginava que ia acontecer e caí de boca nos seios fartos dela.

Ela aproveitou a fantasia de enfermeira sexy que estava usando e começou a dançar para mim.

- Nunca imaginei que ia ser cuidado por uma enfermeira dessa, eu disse.

Ela riu e continuou a dança enquanto, aos poucos, ia tirando aquelas três peças da fantasia.

Ela disse que tinha comprado só para usar comigo um dia, e que ela poderia ser a minha enfermeira sexy sempre que eu quisesse.

Ela se ajoelhou e começou a me chupar, enquanto eu olhava para a porta para ver se ninguém apareceria.

Percebi que ela trancou e colocou um pedaço de pano na janela de vidro, para não correr nenhum risco.

Coloquei ela naquela mesma mesa que vi a buceta dela pela primeira vez, aquela de vidro.

Comecei a chupá-la e observei a fantasia de enfermeira sexy no chão. Mal acreditava que finalmente eu estava transando com alguém da faculdade, depois de tanto tempo só de estudos.

Depois eu coloquei ela de quatro e comecei a comer a Paloma.

Ela gemia enquanto colocava a mão na boca pois não queria que ninguém escutasse.

Em meio a tudo isso, já estávamos no chão, com papéis por todos os lados, junto com a fantasia sexy de enfermeira.

Trepamos em quase todas as mesas que tinham por lá.

Paloma não se saciava nunca, sempre queria mais.

Ficamos lá por umas três horas e transamos algumas vezes, o suficiente para eu compensar todos os dias perdidos em que fiquei sem trepar, só imaginando quando isso ia acontecer com a Paloma.

Decidimos que já era hora de voltar.

Paloma disse que foi muito gostoso trepar comigo e que ela quer mais.

Guardou a fantasia sexy de enfermeira e disse que da próxima vez iríamos arriscar em outros lugares da faculdade, pois ela já tinha tudo muito bem planejado.

Ninguém aquele dia desconfiou da nossa escapada e muito menos suspeitam de tudo o que fizemos.

Desde então, a rotina da faculdade de medicina, que já era tão puxada, ganhou mais uma intensa matéria. 

Mas, pelo menos, essa matéria envolve a aluna mais gostosa da universidade, com uma fantasia sexy de enfermeira "cuidando" de mim. 

O que achou do conteúdo?

Quer receber dicas para apimentar a relação?

Mica

A mascote do blog Química Perfeita, adora compartilhar conteúdos sobre relacionamento e sexualidade entre casais.